veja TAMBÉM
buscas
apoio cultural

Balé Clássico

Balé Clássico

Svetlana Zaraphova
 

O balé traz muitos benefícios para o ser humano, não só para o corpo que adquire uma postura longilínea e músculos definidos, mas também para a alma, pois trabalha com a música que nos traz bem estar, combate a timidez, e nos dá paz de espírito.

Ajuda na disciplina, e concentração.

Ele é a base para todos os tipos de dança.

O balé surgiu há mais ou menos 500 anos atrás na Itália. O primeiro balé registrado foi em 1489, comemorando o casamento do Duque de Milão com Isabel de Aragon. Em 1581 Catarina de Médicis(rainha da França) que era casada com  Henrique II  mandou fazer o Balé Cômico da Rainha, que durava em torno de 6 horas e invejou todas as cortes.

Mais tarde com o reinado de Luis XIV, que foi rei com cinco anos, e adorava dançar, o balé teve seu grande salto
Em 1661 foi fundada a Academia Real de Balé e a Academia Real de Música e oito anos mais tarde a Escola Nacional de Balé.

O professor Pierre Beauchamp, foi quem criou as cinco posições dos pés que se tornou a base de todo aprendizado clássico.

Em principio todos os bailarinos eram homens, só no final do século XVII, que foram aceitas mulheres. Marie Camargo foi importante pois encurtou as saias e passou a usar sapatos leves.

Quando surgiu o romantismo foi criado o primeiro grande Balé “A Sílfide”, logo depois Gisele que consagro Carlota Grisi.

O Balé na Europa empobreceu, mas na Rússia continuou a crescer. O francês Marius Petipá foi de vez para Rússia e criou célebres balés, como a Bela Adormecida, o Lago dos Cisnes e o Quebra Nozes.

Depois surge Serge Diaghilev que trouxe para a França os melhores bailarinos das companhias imperiais como Anna Pavlova, Tâmara Karsaviana, e Vaslav Nijinski, e o brilhante coreógrafo Mikhael Fokine.

Mesmo a dança mudando tanto, sempre haverá lugar para os grandes e imortais balés.

 
NOSSO ENDEREÇO
Rua Capitão Adélmio Norberto da Silva, 415
Ribeirão Preto / SP
(16) 3913-5000
MAPA